terça-feira, 14 de março de 2006

Recuperar

Estou a recuperar lentamente a minha vontade de escrever. Estamos em noite de lua cheia, com temperatura do ar morna, noite de românticos....
Vou falar apenas de alguns assuntos da actualidade, sem me alongar muito.
OPA. Mais uma, seguindo a moda. Ontem foi anunciado, em directo, nos telejornais dos três estações de TV generalistas, que o BCP quer tornar-se o maior banco português. Absorvendo o BPI, vai conseguir este estatuto. Realmente, tanto banco grande para um país tão pequeno! Mais uma vez reclamam que não se trata de uma OPA hostil, tipo santinho, o anunciante da mesma garantiu que querem ficar todos amigos. Não vão despedir ninguém, não sei. Deve ser difícil de cumprir esta promessa. Vão é fazer a vida cada vez mais difícil aos pequenos bancos, como o meu, o Montepio Geral. A do gato fedorento! Estas OPA’s parecem o Fantasma da Ópera!
Procura-se Procurador Geral da República. O cessante aparentemente não deixa saudades. Muito falador, tentou sempre justificar-se de alguns erros cometidos. Também, sem dinheiro pouco se faz. Teve muitos casos difíceis entre mãos, como o da Casa Pia.
Vai aumentar a população espanhola em Portugal! Como? Simples. Vão fechar várias maternidades, entre elas, a de Elvas. A opção geograficamente mais perto é Badajoz. E quem nasce em Espanha, é espanhol. Mais uma medida do Governo aproveitando a pausa eleitoral!
Contramão. Esta tarde, no norte do país, um condutor de 79 anos de idade entrou na A4 em contramão, provocando vários acidentes, o último acabou com a sua própria vida. Um familiar disse que era frequente ele enganar-se. Isto levanta mais uma vez a questão se idosos devem conduzir, ou não.

10 Comments:

At 14 março, 2006 21:34, Blogger RCataluna said...

Fico satisfeito por estar a recuperar a vontade de escrever!
Em relação ao último assunto que aborda julgo que existem pessoas mais velhas que continuam a conduzir muito bem. Um dos problemas tem a ver com as inpecções médicas, ou a falta delas...
Outro dos grandes problemas da condução em Portugal tem a ver com o ensino da mesma. Compreendo que exista preocupação em relação aos condutores mais velhos. Contudo existem muitos novatos que se julgam "Fangios", adoptando comportamentos de risco desde muito cedo...

 
At 15 março, 2006 00:16, Blogger Zig said...

rcataluna:
Devia se dar muito mais atenção a estas matérias. Uma amiga minha está a tirar a carta, e conta-me cada uma! Por exemplo: Primeiro se tem de fazer o "código", só depois se conduz. Para mim, este é um dos grandes erros do ensino da condução em Portugal. Após algumas aulas, o aluno devia logo conduzir. Quando tirei a carta, na Alemanha há 28 anos, tive aulas de condução logo desde do início, fiz horas numa auto-estrada e á noite, também tive aulas no trânsito de uma grande cidade. Pronto, dizem agora vocês, agora vem aqui este alemão a querer ensinar-nos. Mas penso, se eu pudesse evitar só uma única morte na estrada com estas linhas, seria muito bom!

 
At 15 março, 2006 01:59, Blogger lune said...

Em resposta á rcataluna, eu "tentei" tirar a carta há um ano, e não foi assim, logo de inicio tive aulas de condução, mas o problema foi outro, credo tantos codigos para decorar, bouffff...
:( Vou tentar de novo né, não sou de desistir..
Beijos
Jaci

 
At 15 março, 2006 02:08, Blogger Zig said...

lune:
Não sabia que se pode fazer assim também, conduzir primeiro. Bem, qualquer das maneiras, boa sorte na próxima!!!

 
At 15 março, 2006 11:09, Blogger RCataluna said...

Lune: não digo que todos os novatos adoptem posturas de risco. Existem muitos jovens que são responsáveis. Confesso que também não sabia que se podia começar logo a conduzir. Do meu ponto de vista, como disse o Zig, deveria ser obrigatorio conduzir à noite e em estrada. Outro aspecto que me faz confusão tem a ver com muitos pais que ofrecem carros potentes aos jovens encartados. Ja vi miúdos com 18 anos com BMW's e Mercedes. Quando uma pessoa acaba de tirar a carta não sabe conduzir. Só aprende a conduzir quando está sozinha, sem instrutor ao lado. É um processo continuo, infinito. Todos os dias aprendo algo novo quando conduzo.
Boa sorte com a carta!

 
At 15 março, 2006 13:34, Blogger Chico said...

Relativamente à aquisição do BPI pelo BCP, ouvi hoje de manhã nas notícias que, se a aquisição se consumar, cerca de 3000 postos de trabalho terão de ser "racionalizados".
Também ouvi o Presidente do CA do BCP dizer que a referida aquisição tem como principal objectivo "gerar valor".
Não sou nada contra estas operações financeiras, muito pelo contrário, acho que revelam sintomas de boa saúde da economia, espírito empreendedor e são a prova de que o sistema capitalista tem virtudes inegáveis quando a concorrência é leal. Também nada tenho contra o objctivo de gerar valor (leia-se lucro, porque é disso que se trata), porque é essa a principal motivação de uma empresa.
Já relativamente à "racionalização" dos postos de trabalho, fiquei com a pulga atrás da orelha. "gerar valor" à custa de sacrifícios laborais já não me parece éticamente aceitável.
Mas posso ter ouvido mal. Às 7.30 da manhã ainda estou meio a dormir...

 
At 15 março, 2006 13:38, Blogger O Restaurador said...

Eu penso que esta problemática da condução tem a ver com a personalidade de cada um!

Independentemente de termos 18, 30, 40 ,50 ou 70 anos; desde que habilitados legal e medicamente para conduzir, acho que o problema não vem da idade nem de um grupo etário, mas sim de cada um e da sua responsabilidade e consciência.

O meu pai é um dos muitos perigos que circulam pelas estradas portuguesas. Ultrapassagens pela direita, raramente cumpre limites de velocidade e desconhece o significado de cedência de passagem e passagem para peões. Por várias vezes quase que teve um acidente, mas penso que até agora ele tem tido a estrela da sorte sempre do lado dele!

Eu vendo a condução dele, prometi que jamais seria assim! Estou legalmente habilitado para conduzir à 2 anos e meio. Nunca tive uma multa. Já soprei o balão 6 vezes (a primeira vez que soprei tinha a carta há 15 dias) e acusei sempre 0.0! Gosto de cumprir os limites de velocidade e de programar as viagens com alguma antecedência, inclúsive a que faço pelo menos 2 vezes por mês Castelo Branco - Vila Viçosa - Castelo Branco. Adoro velocidade! O Zig sabe, eu sou um aficionado pela Fórmula 1. E admito que na auto-estrada é o único local onde não cumpro o limite. Em vez de circular a 120km/h, circulo a 140km/h. Mas apenas o faço quando as condições atmosféricas mo permitem.

Desde que tenho a carta de condução há 2 anos e meio, e devido ás minhas constantes viagens, não só para Vila Viçosa, mas também para a aldeia da minha namorada que fica a 100 km de Castelo Branco, assim como para visitar família e amigos em Setúbal, Lisboa e Porto já fiz cerca de 60000km. Penso que para o tempo que tenho a carta já tenho alguma experiência. E já assisti a muita coisa nas estradas deste país. Por muitas vezes me iam envolvendo a mim num acidente! O IP2 entre o Rio Tejo e Estremoz é uma autentica aventura e luta para nos mantermos vivos! Já me aconteceu olhar pelo retrovisor e não haver nenhum carro atrás de mim, inicio o processo de ultrapassagem a um camião e de repente tenho um Citroën a ultrapassar-me e um Audi a ultrapassar o Citroën. Quatro veículos lado a lado. Se a estrada não fosse larga e se não circulasse ninguém naquela zona naquele momento eu tinha morrido ali de certeza! Que culpa teria eu? Eu já vi muitos corpos na estrada com lençois brancos ou dentro de sacos brancos...

Assim, o problema a meu ver, é a consciência que a maioria das pessoas não têm e o facto da corrupção da Brigada de Trânsito!

Abraço!

 
At 15 março, 2006 13:55, Blogger Trequita said...

Em relação às mortes em contra-mão estão a esquecer-se de algo fundamental: Quem constrói as entradas nas auto-estradas é que tem a maior parte da culpa... deveria ser impossível entrar na auto-estrada em contra-mão mas isso não acontece

 
At 15 março, 2006 17:57, Blogger O Restaurador said...

Trequita, há um fundanense que inventou um sistema para evitar que se circule em sentido contrário nas auto-estradas. Foi várias vezes premiado no estrangeiro.

Após ter registado a patente do invento, tentou vende-lo cá em Portugal. Sabes qual foi a posição das concessonárias das auto-estradas?

Um investimento caro e desnecessário!!!

Agora o pobre homem até esta disposto a oferecer o invento para se evitarem situações como esta descrita pelo Zig!

Assim vai o nosso Portugal...

Abraço!

 
At 15 março, 2006 21:52, Blogger Zig said...

rcataluna:
Após 28 anos de carta ainda tenho prazer na condução. Em jovem, claro que cometi alguns abusos, dei alguns "toques", o último dos quais algo grave, mas foi só chapa. Desde daí, tomei consciência que um carro é uma arma, que pode matar.

chico:
Bem, ao que parece, estas OPA's são apenas para "racionalizar" os respectivos bancos. Já perguntaram os clientes se querem mudar de bancos? A banca já tem lucros recorde, quem paga somos todos nós!
Ouviste bem, era mesmo isso, lucro!

o restaurador:
Pois aí está o ponto fraco da corrente. Os carros são cada vez melhores, mais seguros e mais rápidos. Qualquer Diesel chega hoje aos 200 km/h. As estradas são cada vez melhores também. E o condutor? É o mesmo! Pouco evolui. Só quando lhe toca no bolso, abranda um pouco. Mas pouco, muito pouco. Amanhã carrega no acelerador de novo!
Ao contrário de ti, tenho um pai exemplar. Na sua vida, ele já fez ca. de 10 milhões de km na estrada. Foi, claro, em camião. Orgulho-me muito dele, por me ter ensinado muita coisa, tenho-o sempre como exemplo na condução!
Aquilo da corrupção na GNR, acho que já foi pior.

trequita:
Como o restaurador diz, já há muitas soluções para evitar que um condutor entra em contramão numa auto-estrada. São é controversos, e algo dispendiosos, tanto na construção como nas consequências. Nalgumas entradas nas auto-estradas a sinalização é francamente má. Até a mim, que me considero um automobilista prudente, já me ia acontecendo.

 

Enviar um comentário

<< Home