terça-feira, 27 de outubro de 2009

Divulgação Evento (Beja)

Temos uma actriz, um músico, um saxofone, uma banheira que paira e um banco voador!
Um técnico de luz, um director enfurecido, dois actores que tratam de tudo e um produtor atarefado! As cadeiras são duras, mas ninguém dá conta, a sala é velhota e fantasmagórica, mas gostamos dela mesmo assim.

Acima de tudo temos palavras bonitas, música de grande qualidade, a iluminação ideal, criatividade, sons e vontade.




Sinopse

espera (é) s.f. 1. Acto de esperar. 2. Ponto onde se espera. 3. Emboscada.
As mulheres na beira da praia aguardam o regresso dos homens da faina ou os olhos constantemente pousados nos ponteiros do relógio quando algo está para acontecer ou um chão já abaulado com os passos do esperador.
Ela enquanto ser esperante. Ela especializada na arte de aguardar, na esperança vã de um regresso que sabe, à partida, impossível.
Se a um tempo a espera é inútil, a outro é o que a separa do estado não-vivo, isto se pensarmos na vida como algo para além do trabalho constante do músculo e do cérebro.
Se a vida só é possível à luz daquele amor, a única forma de auto-preservação é esperá-lo. Sabendo que no momento em que a espera tenha um fim, em que a esperança desespere, o desligar do corpo é o único caminho.
.
Ficha Técnica
a partir da obra de Maria do Rosário Pedreira
Direcção António Revez
Performer Ana Ademar
Músico João Paulo Courinha (saxofone)
Luz Ivan Castro
Grafismo Cocas Produções
Produção Rafael Costa
.
Texto retirado do blog dos Lendias
Cartaz recebido por mail
.

Etiquetas: ,

2 Comments:

At 27 outubro, 2009 16:19, Blogger moi chéri said...

Merci! ;-)

 
At 27 outubro, 2009 16:26, Blogger Zig said...

moi chéri:

De nada, cara amiga :)

 

Enviar um comentário

<< Home